Área Restrita - Somente para empresas associadas
SETPES - Bilhetagem Eletrnica - DvidasHome > Bilhetagem Eletrnica - Dvidas

Bilhetagem Eletrnica - Dvidas

INFORMAÇÕES, DÚVIDAS OU SUGESTÕES

Perda ou roubo do cartão
A implantação da bilhetagem eletrônica oferece ao usuário que perder o cartão um serviço exclusivo para bloqueio e reembolso dos créditos restantes em um novo cartão. Para ter acesso ao serviço vá ao link do nosso HELP DESK que se encontra na pagina principal do site (se voce ainda não tem um login para o help desk, solicite ao nosso SAC) e está disponível 24 horas, ou deverá acionar o Fale SETPES pelo telefone (27) 2125.7602, no horário de 08 as 17:45 h, e autorizar a operação, fornecendo seus dados pessoais, funcionando apenas nos dias úteis. A medida só é permitida porque o cartão possui um chip eletrônico. O desbloqueio do cartão somente será efetuado mediante a apresentação do cartão bloqueado, exclusivamente pelo titular no caso do cartão Siga Vitória Passe Escolar e/ou o representante do Empregador no caso do cartão Siga Vitória Vale-Transporte, junto à sede administrativa do SETPES, localizado na Rua Constante Sodré - 265, bairro Santa Lúcia - Vitória. O prazo para preparação de novo cartão (2ª via de cartão) é de cinco dias úteis.
Porém, se houver sinais de vandalismo ou descuido, será cobrada uma taxa de emissão de segunda via. Por isso, evite colocar o seu cartão em locais de exposição ao calor, gordura ou em contato com a água e clipes.
O valor mínimo da taxa de emissão de nova via de cartão Siga Vitória Vale transporte, Serviço, Cidadão, Estudante e Gratuidade atualmente é de R$ 32,00 podendo chegar a 30 vezes o valor da tarifa vigente, conforme previsto na legislação em vigor.

Prazo máximo para recarga de créditos a bordo nos ônibus
Se houver recarga habilitada para o cartão Siga Vitória Vale-Transporte ou Serviço, ela ficará disponível no validador por até 40 (quarenta) dias. Findo esse período, sem a utilização do cartão, nos validadores do Sistema Municipal de Vitória a recarga expira e os créditos correspondentes retornam à bolsa de créditos, ficando à disposição do empregador para a revalidação a qualquer tempo.

O que é bolsa de créditos?
A bolsa de créditos é um registro em nome do empregador cadastrado no SETPES (pessoa física ou jurídica) no qual se encontram arquivados e à disposição do referido empregador todos os créditos que não foram carregados nos cartões eletrônicos por algum dos seguintes motivos:
1) O usuário não apresentou seu cartão durante o período em que a recarga ficou disponível no validador. Portanto, a recarga expirou e retornou para a bolsa da entidade.
2) O valor da recarga, somando ao saldo que o cartão já possui, excede ao valor máximo permitido para o tipo de cartão. A parte excedente da recarga retorna para a bolsa de crédito da entidade.

Como fazer para visualizar e utilizar o saldo da bolsa de créditos?
O empregador pode consultar a qualquer tempo o saldo disponível em sua bolsa de créditos por meio de solicitação via e-mail (sac@setpes.org.br). Os créditos remanescentes na bolsa da entidade podem ser usados normalmente para revalidar uma recarga expirada de um usuário ou para habilitação em outros cartões da mesma entidade.

Quem fiscaliza todo o processo de carga e recarga dos cartões para que o consumidor não seja lesado?
O próprio usuário, ao embarcar em qualquer ônibus do sistema de transporte municipal de Vitória, poderá verificar o saldo existente no seu cartão quando apresentá-lo ao validador.

PENALIDADES

E se o usuário emprestar o seu cartão a outra pessoa? Como isso será identificado?
O cartão é de uso pessoal e intransferível. Por isso, o empréstimo é proibido tanto para os cartões pertencentes aos estudantes, quanto para os empregados com direito ao vale-transporte e usuários com direito à gratuidade.

FRAUDE

A bilhetagem eletrônica interrompe o fluxo de comercialização clandestina de vales e passes de papel. É que a extinção do passe escolar e vale-transporte acaba também com o mercado informal que gira em torno do transporte público coletivo.

Qual o risco do cartão ser falsificado?
A fraude por clonagem ou por falsificação é inviável em razão dos avançados conceitos de segurança que são empregados na sua fabricação.

CURIOSIDADES

Números da bilhetagem
Em Vitória, uma frota de 330 ônibus está munida de catracas eletrônicas e validadores para receber os usuários de Vitória. A bilhetagem fica ao alcance dos usuários que, mensalmente, realizam cerca de 3,2 milhões de viagens pela frota municipal de Vitória.

O que muda dentro do ônibus?
A bilhetagem trouxe poucas alterações visuais nos coletivos. A mudança mais perceptível é a presença do validador, um equipamento no formato de uma caixa retangular, fixado em uma das colunas, ao lado do cobrador ou do motorista, no caso dos micro-ônibus. O validador tem a função de efetuar a leitura dos cartões, debitar o valor correspondente a uma tarifa, mostrar o saldo do cartão e liberar a catraca. Essa tecnologia já está implantada na maioria das capitais brasileiras.

TIRE SUAS DÚVIDAS!

Como fica a situação dos estudantes? Onde eles recebem os cartões e como ocorre o cadastro?
Os estudantes que utilizam o sistema municipal de transporte de Vitória e que possuem direito ao passe escolar DEVEM SER cadastrados e RECADASTRADOS ANUALMENTE. Depois da distribuição dos cartões para os alunos, eles passam a comprar créditos, que são armazenados no cartão. O limite de créditos é o previsto na legislação em vigor.

A aquisição do cartão é obrigatória para os demais usuários que não utilizam nem o vale-transporte nem o passe escolar? Não. O cidadão comum poderá optar por pagar em dinheiro a sua passagem. Não há custo para nenhum usuário com a substituição dos passes ou vales de papel pelos cartões.

E os idosos? Também recebem o cartão para passar pela catraca?
O idoso tem, amparado pela Constituição Federal, o direito ao transporte, portanto, não necessitará do cartão, entretanto se este desejar transpor a catraca, deverá providenciar o cartão no SETPES.

E as pessoas com deficiência? Também recebem o cartão para passar pela catraca?
Sim. Conforme previsto pela legislação as pessoas com deficiência devem procurar a SETRAN/PMV para realizar a perícia média e ter direito à preparação do cartão gratuidade, maiores esclarecimentos ligar para 156.

Como o passageiro pode acompanhar os créditos que ainda restam no cartão?
Ao apresentar o cartão ao validador, o usuário recebe a informação sobre a tarifa cobrada naquela linha. Todas essas informações são apresentadas pelo visor do validador.

Qual é o tempo de liberação da catraca?
No momento em que o usuário apresenta o cartão, ocorre o débito e a catraca fica liberada para passagem durante o tempo de 10 segundos. Caso o usuário não passe nesse tempo (time-out), ocorre o travamento da catraca. Para o cartão do usuário não ser debitado novamente, o validador armazena o último cartão que ficou na condição de time-out. Quando o usuário apresenta seu cartão novamente na mesma viagem, a catraca é liberada pelo débito efetuado anteriormente. Essa funcionalidade é chamada "passagem pendente". A segunda apresentação do cartão do usuário somente terá a funcionalidade de "passagem pendente", isto é, de liberar a passagem do usuário pela catraca, sem ocorrer um novo débito. Somente se não ocorreu nenhuma outra passagem de usuário neste intervalo, ou seja, caso outro usuário passe a catraca neste intervalo de tempo, o passageiro que ficou em time-out terá uma tarifa debitada ao apresentar o cartão novamente. Todas as dúvidas, sugestões e informações também podem ser obtidas pelo telefone (27) 2125.7602.

PROTEJA O SEU CARTÃO

Em caso de cartão danificado, quais as providências a serem tomadas? 
O cartão que sofrer qualquer dano técnico e deixar de funcionar corretamente deverá ser apresentado ao prédio administrativo do SETPES, na Rua Constante Sodré, 265, em Santa Lúcia, Vitória, para análise do ocorrido. Isto é indispensável para a emissão da 2ª via e resgate dos créditos não utilizados.

Para cada cartão apresentado danificado, será cobrada a taxa de emissão da nova via de cartão no valor de até 30 (trinta) vezes a tarifa praticada na ocasião; exceto se o vício for intrínseco ao cartão e o defeito for constatado dentro do período legal de garantia que é de 90 (noventa) dias.

CARTÃO INATIVO

Um cartão que ficou mais de doze meses sem uso pode ser utilizado e quais as providências a serem tomadas?

Por força do disposto em norma da bilhetagem expedida pela SETRAN/PMV (portaria nº 015/05), o cartão eletrônico que não for utilizado pelo prazo de doze meses é considerado inativo e não irá liberar a catraca nos ônibus. Deverá o interessado proceder a sua liberação comparecendo ao prédio administrativo do SETPES, na Rua Constante Sodré, 265, em Santa Lúcia, Vitória, portando o cartão para análise do ocorrido. Os créditos remanescentes não são perdidos e podem ser utilizados após a liberação do cartão.


Rua Constante Sodré, 265 - Santa Lúcia - CEP: 29055-420 - Vitória - ES - SETPES
SAC: (27) 2125-7602 Email: sac@setpes.org.br © Copyright 2011. Todos os direitos reservados